• Acordem!

Editoriais

O Senado australiano abre um inquérito formal sobre o excesso de mortes

O Senado australiano abre um inquérito formal sobre o excesso de mortes

O que está a provocar o excesso de mortes? Será a Covid? Os confinamentos? As vacinas? Os australianos estão agora um passo mais perto de o descobrir.

26 de Março, 2024 – Rebekah Barnett

O Senado australiano votou hoje a favor da abertura de um inquérito parlamentar sobre o excesso de mortes no país, dando luz verde àquele que é possivelmente o primeiro inquérito desta natureza no mundo.

Foi necessário um ano e cinco moções para que o Senador Ralph Babet, do Partido da Austrália Unida, conseguisse finalmente a aprovação do inquérito.

O Senador Babet apresentou duas moções, sem sucesso, pedindo um inquérito sobre o excesso de mortalidade na Austrália em março passado, seguidas de outra moção, sem sucesso, em fevereiro deste ano.

Algumas semanas mais tarde, a sua quarta moção, em que solicitava ao Senado que reconhecesse a necessidade de um inquérito, foi aprovada com uma vitória, marcando uma mudança de atitude no Senado e abrindo caminho para a votação de hoje, que finalmente estabeleceu um inquérito.

“A quinta vez é de vez!”, afirmou o senador Babet numa declaração após a aprovação da sua proposta.

“Este parece ser o primeiro inquérito a nível mundial para uma questão que é global. Que este processo de comissão dê voz aos membros da família dos falecidos e forneça as respostas de que a nossa nação tão desesperadamente necessita.”

A moção bem-sucedida, co-patrocinada pelos senadores independentes Jacqui Lambie e David Pocock, pede que o Comitê de Referências de Assuntos Comunitários conduza um inquérito sobre os fatores que contribuem para o excesso de mortalidade em 2021-2023 e faça recomendações sobre como lidar com eles.

A votação foi ganha por 31:30, com apenas o Partido Trabalhista de esquerda e os Verdes a oporem-se à moção (ver repartição completa aqui).

O fenómeno do excesso de mortalidade por todas as causas é um problema para as nações de todo o mundo desde o início da pandemia em 2020, mas os governos têm demonstrado pouco interesse ou iniciativa em investigar as razões ou o que fazer para o resolver.

A Austrália registou um excesso de mortalidade recorde durante a pandemia, atingindo um pico de 11,7% acima da linha de base prevista em 2022. Este número foi inicialmente anunciado como sendo de 15%, mas o Australian Bureau of Statistics (ABS) reviu em baixa os seus números de excesso de mortes com a adoção de uma nova modelização em 2023.

Embora 2023 tenha registado menos mortes em excesso, o ABS relata que o excesso foi “sustentado” e “estatisticamente significativo” na primeira metade de 2023.

Os números divulgados hoje pelo ABS mostram que a maioria das mortes em 2023 se situa acima do intervalo de referência, embora a mortalidade tenha ficado dentro do intervalo de referência durante as semanas 31 a 43.

O cancro continua a ser a principal causa de morte na Austrália, respondendo por cerca de um terço de todas as mortes ano a ano, seguido por demência, doenças respiratórias e doenças cardíacas. Em 2022, a Covid foi a sexta principal causa de morte, caindo para a oitava em 2023.

Naturalmente, algumas das mortes em excesso registadas na Austrália e em todo o mundo são atribuíveis à Covid, mas o vírus não pode ser responsável por todo o excesso de mortalidade. De facto, os critérios pouco rigorosos para a atribuição de mortes à Covid significam que o impacto do vírus no excesso de mortalidade está provavelmente sobrestimado.

Inicialmente, o ABS diferenciou entre mortes devidas apenas à Covid e mortes com outros factores causais, revelando que apenas 8,6% das mortes com Covid foram causadas apenas pelo vírus.

Posteriormente, este método de notificação foi eliminado e todas as mortes com uma sequência causal de eventos (incluindo com condições crónicas pré-existentes) foram varridas para a categoria “devido à Covid”, levando a contabilização das mortes devidas à Covid de 8% para aproximadamente 80%.

Mesmo assim, uma análise do excesso de mortalidade de 2022 pelo órgão atuarial de ponta da Austrália, o Actuaries Institute, atribuiu apenas metade do excesso de mortes da Austrália à Covid.

Isto deixa o resto do excesso de mortalidade sem explicação.

Os especialistas sugerem que outros factores que conduzem ao excesso de mortes na Austrália podem incluir: transferências de mortalidade, Covid não diagnosticada, problemas de saúde mental e mudanças de estilo de vida pouco saudáveis influenciadas pela pandemia. Note-se que os dois últimos são efeitos documentados das políticas governamentais relativas à pandemia.

Uma investigação independente sobre o excesso de mortes, conduzida pela Australian Medical Professionals’ Society (AMPS), destacou o impacto do programa de vacinação contra a Covid como outro potencial fator de excesso de mortalidade.

Um relatório particularmente interessante apresentado no inquérito da AMPS foi um estudo australiano sobre as tendências de mortalidade por todas as causas realizado na população de Queensland antes da Covid, mas após a vacinação. A análise mostrou que as mortes começaram a registar uma tendência ascendente com o lançamento da vacina contra a Covid, e não com a Covid.

Os dados de mortalidade de Queensland mostram um aumento acentuado da mortalidade por todas as causas entre as pessoas com 60 anos ou mais, coincidindo com o lançamento da primeira série da vacina e antes da disseminação da Covid na comunidade. Análise efectuada por um dos apresentadores do inquérito da AMPS, Dr. Andrew Madry.

Embora a Therapeutic Goods Administration (TGA) reconheça oficialmente apenas 14 mortes relacionadas com as vacinas contra a Covid, havia mais de 1 020 mortes e mais de 140 000 com lesões registados na DAEN, a base de dados de vigilância da segurança da Austrália, em 12 de março de 2024.

Fonte: DAEN

Como a subnotificação é uma caraterística bem conhecida de tais sistemas de vigilância de segurança, a verdadeira extensão dos danos causados pelas vacinas contra a Covid é desconhecida.

A TGA admitiu-o quando, em setembro do ano passado, o regulador se recusou a dizer quantos dos eventos adversos comunicados ao DAEN tinha determinado como tendo uma relação causal com as vacinas contra a Covid, mas deixou escapar que a TGA atribui a quase todos os relatórios um estatuto de causalidade de “possível”, não confirmando nem negando a causalidade.

Outros potenciais factores que contribuem para o excesso de mortalidade podem incluir danos decorrentes da resposta à pandemia, incluindo confinamentos, isolamento, perda de emprego, perda de autonomia e aumento do stress, todos eles referidos nas respostas a um inquérito sobre os Termos de Referência para uma Comissão Real Covid.

O inquérito da Austrália sobre o excesso de mortes irá provavelmente considerar tudo isto e muito mais. O Comité deverá apresentar o seu relatório até 31 de agosto de 2024.

news.rebekahbarnett.com.au/p/breaking-australian-government-establishes

Partilhar:

Outros Artigos:




Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mostrar botões
Esconder botões