• Acordem!

Contas bloqueadas - Crédito Social, Notícias, Soc Sem Dinheiro

Canadá lança sistema de crédito social, contas bancárias dos cidadãos ligadas a pontuações de obediência

20 de março, 2024 – Ethan Huff

O Canadá está a implementar um novo sistema chamado “open banking” que ligará as contas bancárias dos cidadãos a um novo sistema de pontuação de crédito social.

Na sequência da Trucker Convoy e de outros protestos dignos de nota contra a tirania da “pandemia” do coronavírus de Wuhan (COVID-19) no Canadá, o regime de Justin Trudeau está a radicalizar o sistema bancário do país para tornar muito mais difícil aos cidadãos expressarem as suas vozes contra a corrupção política.

Os defensores do paradigma bancário ligado à pontuação de crédito social afirmam que este tornará os bancos canadianos mais “inclusivos”, permitindo-lhes aceder facilmente aos dados dos utilizadores a pedido e partilhar informações entre si.

Um parceiro do Banco Mundial chamado Open Banking Excellence (OBE), que teve origem no Reino Unido, está neste momento a gabar-se orgulhosamente de que vai incorporar as pontuações de crédito social nas informações bancárias das pessoas no Canadá. É provável que os canadianos recebam “dinheiro” digital e identificação num local “conveniente”, tudo em um e “inclusivo”.

“Trata-se de ter uma sociedade mais justa, mais inclusiva e mais aberta”, disse a fundadora do OBE, Helen Child, certificando-se de utilizar todos os chavões populares para fazer com que o seu projeto pareça um sonho tornado realidade para o mundo.

Rumo a uma sociedade sem dinheiro físico

Curiosamente, a OBE já opera em cerca de 40 países diferentes, afirmando que o seu objetivo é “criar plataformas e conteúdos excepcionais que promovam a partilha de conhecimentos, novas ideias e parcerias no sector – catalisando a adoção de Open Finance and Data para uma melhor inclusão financeira em todo o mundo”.

A utilização Infantil que faz do termo “sociedade aberta” também é perturbador, na medida em que esta é a ideologia defendida pelo agitador bilionário internacional globalista e comunista George Soros. O mesmo que defende fronteiras abertas, o fim das prisões e a criminalidade (totalmente fora de controlo) sem punição, tudo isto como fundamento de mudanças “progressivas” para o mundo.

Não se sabe como é que irão obrigar os canadianos e outras pessoas em todo o mundo a manterem uma elevada pontuação de crédito social para poderem comprar e vender constitui “inclusão” e “justiça”. Os funcionários da OBE e outros proponentes da construção nunca dizem realmente.

“Promove a inclusão financeira”, é tudo o que uma criança diria sobre o projeto. “Está a democratizar os dados”.

O que podemos ver claramente no meio de tudo isto, é que estes que usam argumentos infantis estão de olho em todo o ouro que o seu esquema de recolha de dados irá acrescentar ao seu stock financeiro. Afinal, dados como os que o seu grupo recolhe para preencher as pontuações de crédito social são valiosos, especialmente à medida que o mundo desce para um abismo sem dinheiro.

“Não há maneira mais fácil de controlar as massas do que controlar o seu acesso ao dinheiro e a sua capacidade de comprar, negociar e circular livremente”, adverte a Slay News.

A Canadian Press foi direta e disse o que uma criança está claramente a pensar, explicando que uma das maiores áreas de crescimento no sector financeiro tem a ver com as avaliações de crédito.
“Com o sistema bancário aberto, os credores podem aceder diretamente aos dados bancários de um indivíduo, para que possam ver para além das pontuações de crédito”, explica a imprensa. “Os consumidores também podem utilizá-los para aumentar a sua pontuação de crédito, por exemplo, provando que pagam uma renda fiável.”

Por outras palavras, o objetivo é avaliar algo mais do que apenas a pontuação de crédito de uma pessoa para determinar se ela é digna de participar na nova economia global que os globalistas estão a desencadear.

Não esqueçamos que o Canadá é um país muito ativo na perseguição de discursos de “ódio”. Podemos apenas imaginar como as pessoas consideradas culpadas de cometer algo “odioso” serão afectadas nas suas pontuações de crédito social, impedindo a sua participação em qualquer coisa relacionada com o comércio e as finanças.

Aconteceu durante a caravana de camionistas e vai acontecer, em complemento da OBE e dos seus esquemas financeiros “inclusivos”.

naturalnews.com/2024-03-20-canada-social-credit-citizen-bank-account-scores.html

Partilhar:

Outros Artigos:




Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mostrar botões
Esconder botões